domingo, 19 de fevereiro de 2017

Um dia de cada vez!


 
 
 
Um dia destes, ao amanhecer, querendo sacudir de dentro de si os fantasmas da noite, ela vagueou pelo jardim procurando mudanças, ouvindo as aves a saudar o dia, respirando fundo. E mais uma vez se deixou maravilhar pela beleza e perfeição de uma vulgar obra que a natureza oferece aos olhos de quem quer ver: admirou a teia perlada de pingos de chuva, levantou a cabeça com determinação e encarou com coragem renovada o dia que começava!
 
.
These foolish things, Charles Mingus
 
 
 
 

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Banalidades

 
Poderá encontrar-se poesia
nos mais prosaicos objectos do nosso dia-a-dia?
Basta acrescentar uns pingos de chuva...
 
 
.
 
These foolish things, Charles Mingus
 
 
 
 


domingo, 5 de fevereiro de 2017

Erva de gato

 
 Que erva mais verdinha tu semeaste para mim, mesmo aqui ao pé da porta!

 
 E que saborosa que é! Hummmm, vou comer mais um pouquinho!
Achas que é viciante, DonaMinha??????

.
Sweet and lovely, Thelonious Monk/John Coltrane






domingo, 29 de janeiro de 2017

Da Transparência




Há uma transparência digna nos objectos do nosso quotidiano.
E nas pessoas? E nas pessoas nas instituições?

.
I wish I knew, John Coltrane

domingo, 22 de janeiro de 2017

Eugénio, sempre

 
Versos de Inverno
 
Outra vez o abutre, o abutre
da tristeza, cai-nos em cima,
crava as garras, rasga,
retalha: - Oh irmão
do deserto, breve
oásis de sol
neste inverno: não há terra
de promissão
fora do corpo; ou da palavra.
 
(Rente ao Dizer, Eugénio de Andrade)
 
.
Sur l'infini bleu, Anouar Brahem
 

 
 

 

domingo, 15 de janeiro de 2017

Abraço vegetal

 
A generosidade do cedro e da azinheira, lá ao fundo,
 emprestaram braços novos aos dois chorões mortos.

 
No centro, o sorriso de aprovação da yuca.
Haja harmonia vegetal!
 
 
.
Blue in green, John Coltrane/Miles Davis
 
 
 

 

domingo, 8 de janeiro de 2017

Ano Novo, Vida Nova



Donaminha, a partir deste ano as minhas sestas vão ser aqui
nestas almofadas,  e não no chão do pátio.
É que os meus ossos...enfim, tu sabes!

.
Tenderly, Bill Evans